Foto CADIMA

Área

Medidas de autoproteção

Enquadramento

Todos os edifícios e recintos devem estar dotados de medidas de autoproteção, com exceção dos edifícios de habitação (partes comuns) das 1.as e 2.as categorias de risco onde não existem medidas específicas obrigatórias (artigo 198.º da Portaria n.º 1532/2008). As Medidas de Autoproteção exigíveis dependem da utilização-tipo e da categoria de risco do espaço. Só após a determinação da utilização-tipo e da categoria de risco se pode definir quais as medidas de autoproteção exigíveis e para tal importa analisar vários parâmetros como, por exemplo, a altura, o efetivo total, o efetivo em locais de risco D ou E, o n.º de pisos abaixo do plano de referência, a área bruta e a densidade de carga de incêndio modificada. Os locais de risco (de A a F) devem também ser considerados para a identificação das medidas de autoproteção.

Objeto da parceria

Poder ter um parceiro que elabore as medidas de autoproteção aos nossos associados, por um valor mais vantajoso.

Procedimento

Contactar os serviços da AESintra e identificar o interesse. A AESintra transmite ao parceiro os dados e o parceiro contacta o sócio para ser elaborado um orçamento.

Usamos cookies para oferecer a melhor experiência on-line. Ao concordar em aceitar o uso de cookies de acordo com nossa política de cookies.

X